iD Bairro SP.01iD Bairro São Paulo [SP.01]
Seminário + Oficina de projetos + Exposição itinerante.
13-17 de outubro, Centro Cultural da Espanha em São Paulo e bairros Santo Amaro e Bom Retiro

[català]  [castellano]  [english]

iD Bairro SP.01. Seminário
Criatividade social, ação coletiva e práticas artísticas.


13 e 14 de outubro de 2010. Das 18:00 às 22:00h. Com a participação de: Rita Alves, Lilian Amaral, Viviana Bravo, André Costa, Rogerio da Costa, Renato Cymbalista, Democracia, Domènec, Colectivo EIA - Experiência Imersiva Ambiental, Jamac, Fadhila Mammar, Colectivo Imargem,  Ramon Parramon.

iD Bairro SP.01. Oficina de projetos
Mapear, explorar, visualizar e ativar. Bairros Santo Amaro e Bom Retiro de São Paulo


13-17 de outubro. Das 10:00 às 17:00h. Oficina coletiva ministrada por Pablo España [Democracia], Domènec, Grupo EIA - Experiência Imersiva Ambiental, Grupo Imargem, Lilian Amaral [Museu Aberto], Ramon Parramon [Idensitat].
Inscrições: . This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. . O prazo de inscrição para o seminário termina em 8 de outubro.

iD Bairro SP.01 é um projeto que atua como observatório do território e como laboratório para o desenvolvimento de processos criativos que se ligam a determinadas atividades sociais ultralocais. Isto acontece em determinados microcontextos que fazem parte das concentrações urbanas contemporâneas. Procura estimular a criação coletiva e o intercâmbio cultural como possibilidade do desenvolvimento e transformação do território, através de processos criativos promovidos pela relação entre as práticas artísticas e o espaço social local. Analisar, para entender as dinâmicas do espaço; visualizar, para interpretar as articulações diversas que acontecem nos lugares; projetar, para traçar novas dinâmicas produtivas; colaborar, para potencializar e multiplicar as capacidades criativas.

iD Bairro propõe que a arte pode ser um fator inovador nos processos de transformação da cidade, já que é capaz de fazer emergir a criatividade social latente e desdobrá-la através de ações coletivas. Esta afirmação pode ser facilmente exposta como pergunta, ao mesmo tempo que introduz questões que deverão ser respondidas, aferidas ou amplificadas no contexto do seminário e das oficinas vinculadas:

Como a arte se relaciona com os processos de transformação urbana e social? Que papel e função têm os processos de participação? Como pode ser ativada a criatividade social em um determinado entorno? Como podem ser desdobrados processos criativos que, no medio e longo prazo, incidam sobre um ambiente local? Como pode participar de âmbitos de ação coletiva através de processos criativos? A transformação da cidade está aberta a projetos? Que relação há entre políticas culturais e planejamento territorial? Podem os contextos locais integrar o discurso cultural global?

iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01iD Bairro SP.01


Objetivos

  • Ligar espaços da cidade, criando circuitos temporários e práticas de apropriação e visualização urbana.
  • Promover o desenvolvimento de projetos criativos que se relacionem a ações locais, no contexto específico dos bairros de Santo Amaro e Bom Retiro de São Paulo.
  • Fomentar o desenvolvimento de projetos que facilitem a abertura a projeções e relações externas.
  • Impulsionar o diálogo com experiências locais e internacionais que propõem campos de ação na prática artística, na mediação sociocultural e na análise crítica, para o desenvolvimento de plataformas de atuação em rede e ativação da criatividade social.


A quem são dirigidos: Tanto o seminário como a oficina são dirigidos a artistas, designers, arquitetos, educadores, gestores culturais, dinamizadores socioculturais, trabalhadores sociais, estudantes de sociologia, antropologia, arte, arquitetura, educação, assim como o público que vive e participa de projetos de bairro.

iD Bairro SP.01
Criatividade social, ação coletiva e práticas artísticas


Seminário: 13 e 14 de outubro de 2010. Das 18:00 às 22:00h.
O seminário, que será realizado no Centro Cultural da Espanha em São Paulo, focará o seu debate no ambiente urbano a partir da criatividade, da participação e das práticas artísticas. Serão enfatizados especialmente a gestão dos processos participativos e as dinâmicas de trabalho em ambientes locais em relação a processos e discursos ultralocais. Artistas, agentes culturais, especialistas e estudiosos dos processos de transformação da cidade e projetos ativos em bairros específicos confluem para analisar diferenças e traçar pontos de articulação dos respectivos campos de ação.

13 de outubro
18:00 Introdução. Ramon Parramon e Lilian Amaral
18:30 Rogério da Costa
19:15 Viviana Bravo
20:00 Renato Cymbalista
20:45 Domènec e Grupo Imargem. Debate com Lilian Amaral

14 de outubro
18:00 Introdução. Ramon Parramon e Lilian Amaral
18:30 Rita Alves
19:15 André Costa
20:00 Fadhila Mammar
20:45 Democracia, Jamac e Grupo EIA - Experiência Imersiva Ambiental. Debate com Ramon Parramon

Oficina de projetos: 13-17 outubro. Das 10:00 às 15:00h.
Mapear, explorar, visualizar e ativar. Bairros Santo Amaro e Bom Retiro, de São Paulo. Oficina coletiva ministrada por Pablo España [Democracia], Domènec, Colectivo EIA - Experiência Imersiva Ambiental, Colectivo Imargem, Lilian Amaral [Museu Aberto], Ramon Parramon [Idensitat].

A oficina proporá, através das ações de mapeamento, exploração, visualização e ativação: geração de uma série de projetos apoiados no contato direto dos bairros, análise das possibilidades de ação, dar visibilidade a questões específicas surgidas entre os participantes da oficina e cada um dos lugares e, por fim, ativar processos e microprojetos apoiados na reversibilidade entre as propostas e os territórios.

Currículos dos participantes


Rita Alves [São Paulo]. Doutora em Antropologia. Coordenadora do curso de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP, onde também trabalha como professora de antropologia. Participa da pesquisa Jovens urbanos: articulações estéticas e ações culturais cidadãs (com o apoio de CLACSO) e é membro do grupo de pesquisa Imagens, Metrópoles e Culturas Juvenis do CNPq. Participa da rede internacional de investigadores Grupo de Trabalho Juventude e Novas Práticas Políticas na América Latina (Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais, CLACSO). Membro do Centro de Investigação em Comunicação e Culturas Urbanas da Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação).

Lilian Amaral
[São Paulo]. Artista visual, curadora e pesquisadora. Doutora em Artes Visuais – Universidade de São Paulo. Membro do GIIP (Grupo Internacional e Interinstitucional de Pesquisa em Convergência de Arte, Ciência e Tecnologia – IA – Unesp).  Organizadora de numerosos projetos, seminários e oficinas internacionais, diretora de vídeos e documentários sobre a arte pública relacional como prática social contemporânea, com ênfase na arte pública e a memória coletiva, imaginários urbanos e o patrimônio. Dirige o projeto processual Museu Aberto: a cidade como museu e o museu como prática artística. Professora investigadora do Programa de Pós-graduação em Cultura Visual da Universidade de Girona – Espanha e da Universidade Federal de Goiás - Brasil.

Viviana Bravo [Santiago de Chile]. Artista visual especializada em integração entre Arte e Arquitetura. Mestrado em Comunicação Visual com aperfeiçoamento em Design Experimental de Espaços na Hochschule für Gestaltung Offenbach am Main, especialização em "Integração em Artes e Arquitetura" na Kunstakademie Düsseldorf, Licenciatura em Artes na Universidade do Chile. Professora na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Chile. Conceitua e administra projetos de investigação em parceria, relacionados com as transformações sociais e sua visualização no espaço urbano.  Dirige, desde 2008, a DUPLEX, plataforma em parceria, da qual editou “quarteirão z: a cidade invisível”, “acampamento” e “trabalho” e, desde 2009, coordena o seminário contínuo "Práticas Descentralizadas: Seminário Internacional de Arte, Estética e Política Urbana" no Centro Cultural da Espanha, de Santiago.

André Costa [São Paulo]. Cineasta e documentalista. Professor de Cinema e TV - FAAP e Criação Visual e Multimídia na Pós-graduação - USJT. Educador e investigador em audiovisual. Dirigiu e produziu documentários premiados em festivais do Brasil e outros países. Em 2007 foi membro do Comitê de Seleção e Programação do 16º Festival Internacional de arte eletrônica Videobrasil. Em 2009, da Comissão Especial Seleção de Projetos Cinematográficos do Ministério da Cultura e da Comissão do Prêmio Estímulo de Curta-Metragem da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Participou, como curador e jurado, em numerosas mostras e festivais de cinema e vídeo.

Rogério da Costa [São Paulo]. Doutorado em História de Filosofia - Universidade de Paris IV (Paris -Sorbonne) (1998). Atualmente, assistente da PUC-SP, professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Semiótica. Em 2004/2005, dirigiu a área de tecnologia da PUC-SP e em 2005/2006, a área de tecnologias da informação e metodologias do BIREME / OPS / OMS. Membro da Junta Diretiva Artística e Cultural MIS / St. Paul. Na atualidade, dirige o Laboratório de Inteligência Coletiva - LINC (www.linc.org.br). Trabalha nos seguintes temas: inteligência coletiva, redes sociais, cibercultura, comunidades virtuais, biopolítica e capitalismo cognitivo.

Renato Cymbalista [São Paulo]. Arquiteto e urbanista (FAU-USP, 1996), Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas (FAU - USP, 2001), Doutorado em Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo (FAU - USP, 2006). Pesquisador Visitante, Instituto de Ciências de Trabalho e Negócios - ISCTE, Lisboa (2004), Instituto de Ciências Sociais - ICS, Universidade de Lisboa (2004) e Centro de História d’Além Mar da Universidade Nova de Lisboa (2005 - 2006). CNPq Fellow (1995-1996), Fapesp (1999-2001) e Instituto Camões (2004). Professor da Escola de Arquitetura da Cidade. Autor de trabalhos e artigos sobre política urbana e a gestão urbana.

Democracia [Madrid]
Grupo artístico constituído em Madrid por Iván López e Pablo España. Entre as últimas exposições nas quais participou Democracia podemos assinalar: Idensitat Manresa, Espanha (2010); Evento, Bordeaux, França (2009); X Bienal de Havana (2009); Bienal de Taipei 2008; 10ª Bienal de Istambul; 3rd Goteborg Biennial. Democracia trabalha também na edição (são diretores da revista Nolens Volens) e em curadoria (No Futuro, Madrid Abierto 2008, Creador de Dueños). Foram fundadores e membros do grupo El Perro (1989-2006). [http://www.democracia.com.es]

Domènec [Mataró - Espanha]. Artista visual. Coeditor da publicação Roulotte e membro do Conselho de Diretoria de Can Xalant Centro de Creación y Pensamiento Contemporáneo [Centro de Criação e Pensamento Contemporâneo] de Mataró.
Realizou uma obra fotográfica, videográfica, instalações e intervenções no espaço público, que tomam o projeto arquitetônico como uma das construções imaginárias mais complexas da modernidade. Participou de numerosas exposições, intervenções e projetos in loco em diferentes lugares, como Irlanda, México, Bélgica, França, Itália, Estados Unidos, Canadá, Brasil, Argentina, Finlândia, Polônia, Israel e Palestina. [http://www.domenec.net]

Fadhila Mammar
[Madrid]
Licenciada em Filologia Espanhola pela Universidade de Grenoble (França) e Tunísia, Mestrado em Migrações, Refúgio e Relações Intercomunitárias. É mediadora, e perita em Mediação Intercultural. É membro fundador do Conselho do Instituto Universitário de Investigação sobre Migrações, Etnicidade e Desenvolvimento Social (IMEDES) da Universidade Autônoma de Madrid. Na Espanha, foi Diretora Adjunta dos Programas de Quarto Mundo da ONG  Médicos do Mundo. De 2005 a janeiro de 2009 dirigiu o Serviço de Mediação Social Intercultural (SEMSI) da cidade de Madrid (administrado pela Fundação Geral da Universidade Autônoma de Madrid). Atualmente é docente em cursos de mestrado e pós-graduação em numerosas universidades, assim como formadora e consultora em diversas instituições da Espanha e América Latina em temas de Mediação, Interculturalidade e Migrações.

EIA - EXPERIÊNCIA IMERSIVA AMBIENTAL
[São Paulo]. Grupo aberto, estruturado em cada edição com diferentes participantes. Formado em 2004 com a intenção de pensar, atuar e intervir na cidade, sua proposta é ser um evento aberto à participação, gerando um período de imersão para a realização de ações conjuntas de diferentes partes da cidade de São Paulo. A EIA tem trabalhado como um grupo autogerenciado, no qual artistas e atores reúnem-se para gerar um território temporário de investigação artística. http://mapeia.wordpress.com [http://www.mapeia.blogspot.com]

JAMAC [São Paulo]. Grupo interdisciplinar que propõe constituir, como alternativa artística e cultural, um conjunto de oportunidades para envolver os jovens da periferia numa ação positiva, resgatando para estes o direito à cidadania e fazendo com que a arte possa ser compartilhada, desenvolvida e motivo de participação social. Iniciativa da artista Mônica Nador, Jamac é configurado como um espaço aberto, com a realização de várias ações que chegam muito além do foco principal. Como espaço de prática artística, impulsionou a formação contínua com cursos que questionam a economia, a política e a filosofia, entre outros conhecimentos. [http://jamacdigital.wordpress.com]

IMARGEM [São Paulo]. Grupo interdisciplinar que propõe projetos ativistas e culturais na zona sul da cidade de São Paulo a partir da perspectiva ambiental, com ênfase no tema da água (Represa Billings). Propõe discussões e mobilizações em torno de questões de propriedade e pertencimento nas zonas urbanas através de narrativas audiovisuais, grafites, teatro, Hip Hop, skate, mobilidade, reciclagem e acessibilidade às atividades culturais e à cidadania a partir das margens [periferias] da cidade.

Ramon Parramon [Barcelona]. Diretor do ACVic Centre d’Arts Contemporànies [Centro de Artes Contemporâneas]. Desde 1999 dirige o projeto de arte IDENSITAT. Codiretor de mestrado em Design e Espaço Público no Elisava/Universitat Pompeu Fabra. Participou e organizou numerosos seminários, oficinas e foros de debate sobre arte e espaço social. Editou algumas publicações como Acciones Reversibles. Arte, Educación y Território[Ações Reversíveis, Arte, Educação e Território] (EUMO Editorial / ACVIC, 2010); Local / Visitante. Arte y Creación Contemporánea en el Espacio Social [Local / Visitante. Arte e Criação Contemporânea no Espaço Social (Idensitat, 2010); Arte, experiencias y territorios en proceso [Arte, experiências e territórios em processo] (Idensitat, 2008). Seu trabalho é desenvolvido com um interesse em projetos interdisciplinares e nas funções que pode exercer a arte em um contexto sóciopolítico específico. [http://idensitat.net]

Direção iD Bairro SP.01: Lilian Amaral e Ramon Parramon.

Inscrições
A inscrição nos seminários e oficinas é gratuita. Os interessados em participar das oficinas devem encaminhar currículo e um texto apresentando sua motivação. Para formalizar a inscrição, deve ser enviado um e-mail a This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.. O prazo de inscrição termina em 8 de outubro. No caso dos seminários, as vagas são limitadas à capacidade do espaço. No caso das oficinas, os participantes serão selecionados através da documentação apresentada.

Local e datas
Seminário: 13 e 14 de outubro de 2010.
Oficina de projetos: 13-17 de outubro de 2010.
Centro Cultural da Espanha em São Paulo | Av. Angélica, 1091
Higienópolis | São Paulo, SP | tel: + 55 11 3822.2627 | This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. 
http://www.ccebrasil.org.br

iD  Bairro SP.01 É um projeto de IDENSITAT em parceria com Lilian Amaral / Museu Aberto-Universidade de São Paulo, promovido pelo Centro Cultural da Espanha em São Paulo. Com o suporte do Ministério da Cultura, Governo da Espanha, Generalitat de Catalunya Consell Nacional de la Cultura i les Arts e Hangar. O projeto conta com parceria de outros sócios locais e será apresentado no contexto da programação dos Terreiros, na programação da 29ª Bienal de São Paulo.

IDENSITAT é um projeto de arte que pesquisa as formas de atuar sobre o espaço público através de propostas criativas em relação ao local, e o território a partir das dimensões física e social. Constitui uma plataforma de produção e investigação em rede na área artística, na qual experimentar novas formas de atuação e interação no espaço social. Os projetos desenvolvidos nas oficinas formarão parte do arquivo de Idensitat, com o objetivo de encontrar mecanismos de produção para aqueles que se ajustem a dinâmicas específicas vinculadas ao contexto local.

{youtube}tdel2MSsC2Q{/youtube}

Este vídeo faz parte da pesquisa realizada pelo Sesc Santo Amaro dentro do projeto Santo Amaro em rede, que mapeou grupos e artistas na zona sul de São de Paulo. O testo abaixo foi pego no blog do projeto, santoamaroemrede.wordpress.com
Um mapeamento das dinâmicas socioculturais da região sul foi realizado para conhecer o território mais amplo onde se insere o SESC SANTO AMARO. Os critérios utilizados foram a relação das atividades com aquelas que o SESC já promove; a inserção e o impacto das ações no território, bem como a articulação das manifestações com redes mais amplas.
Para o processo de identificação e mapeamento cultural foram utilizados agentes sociais do bairro, e as informações coletadas na pesquisa obtidas em um questionário qualitativo e quantitativo aplicado nos entrevistados.